Mire no Marketing de Conteúdo e seja a primeira opção para o seu cliente

As empresas nunca tiveram tantas ferramentas de comunicação com seus clientes na ponta dos dedos, em contrapartida, a concorrência também nunca esteve tão alta. Hoje, empresas de qualquer ramo podem ser consideradas commodities, isso porque, normalmente, apresentam as mesmas características e uniformidades.

E como se diferenciar e não naufragar na internet? Saiba como o Marketing de Conteúdo pode te ajudar.


Atinja seu público-alvo com o marketing de influência - eComm


Marketing de conteúdo

Já se perguntou porque um cliente compra do concorrente e não de você?
Toda venda pode ser classificada como uma troca, mas além disso, é também uma conquista. Como você não é o único que oferece o mesmo produto ou serviço no mercado, o que vai fazer a diferença na escolha do cliente é o vínculo emocional que ele estabelece com uma marca em relação à outra.
Tendo isso em mente, o marketing de conteúdo é uma ação que, segundo o pai do Marketing, Philip Kotler, “envolve criar, selecionar, distribuir e ampliar conteúdo que seja interessante, relevante e útil para um público claramente definido, com o objetivo de gerar conversas sobre esse conteúdo.”
Ou seja, marcas bem posicionadas, sabem contar histórias interessantes sobre si mesmas, e, com isso, entregam aos clientes conteúdo original e de qualidade.


Público-alvo: por que ele é importante?


Persona

É necessário conhecer seu público alvo, o que ele pensa, seus hábitos, valores, o que ele consome, e , a partir disso criar conteúdos pensado em como tornar a vida deles mais fácil.
Os conteúdos precisam ajudar seu cliente de alguma forma. Nele, você toca em alguma dor de sua buyer persona, trazendo soluções para o problema.
Não é possível prever todas as ações de uma pessoa, contudo, quanto mais dados se tem do seu público, maiores são as chances de conversões em uma campanha personalizada.
Escolha o tipo de conteúdo, ou a combinação deles que seja mais eficiente para a sua estratégia de Marketing. Conheça alguns tipos:

*Posts em blogs;
*infográficos;
*e-mails;
*e-books;
*vídeos;
*reviews de produtos;
*guias;
*artigos de opinião,
*estudos de caso;
*podcasts;
*entrevistas;
*guias passo a passo;
*transmissões ao vivo.

Para ficar mais claro em como escolher o melhor conteúdo, pense que você é um novo médico no mercado e está montando agora sua cartela de clientes. Um passo a passo talvez não seja a melhor opção, e poderia até desqualificá-lo, já que é mais usado para processos técnicos, “passo a passo para fazer a nova atualização do Instagram”. Além disso, quando se trata de saúde, cada caso é um caso.
Em contrapartida, alimentar um blog é uma ótima forma de ser encontrado com mais facilidade nos mecanismos de busca do Google e você ainda pode fixá-lo em suas redes sociais, deixando seu perfil ainda mais profissional.
O mais importante desse tipo de conteúdo é saber usar as palavras-chaves da forma correta, para ter a possibilidade de aparecer com mais facilidade nos mecanismos de busca.


Como organizar melhor a produção de conteúdo na sua empresa


Conteúdo claro e consistente

Para as pessoas te considerarem uma autoridade na sua área, você precisa dar a elas conteúdos claros e consistentes. Isso requer dedicação e atenção às fontes de pesquisa. Além disso, saiba como utilizar dados para não perder tempo e dinheiro em campanhas e conteúdos que não resultam em conversões.

Marketing de conteúdo baseado em dados (data-driven)


Cultura data driven: entenda o conceito aplicado na saúde : Nexxto


O marketing de conteúdo data-driven é uma das formas mais seguras para criação de conteúdos que sejam do interesse do seu público. Os dados são coletados diretamente da fonte: seus clientes e são baseados em informações reais obtidas por meio de feedbacks e interações com o usuário.
Saber a direção é o primeiro passo para criar uma estratégia de marketing. Achismos podem acabar te levando para direções erradas, por isso, saiba como colher dados precisos e utilizá-los da melhor forma.

B2C

O modelo BC2 ou “Business to Consumer”, como o nome diz, tem o foco no consumidor final. Alguém de carne e osso, como eu e você. É o caso de marcas que vendem produtos e serviços para clientes e não para empresas.
Nesse modelo, os canais de marketing mais importantes são as redes sociais, por meio delas você consegue feedbacks instantâneos dos clientes em relação ao produto ou serviço e uma interação direta deles com a marca.
Esse público final valoriza questões do dia a dia como o preço, estética (cor, tamanho, design) e, claro, qual a proposta de valor da marca e como a mesma pode trazer soluções efetivas para seu problema.
As empresas que trabalham com esse tipo de público devem prezar pela personalização do atendimento. Elas não podem simplesmente “empurrar” seus produtos, mas conhecer de fato seu cliente, suas dores e só iniciar a venda no momento oportuno.


Suporte ao cliente: o guia definitivo do atendimento - Blog do Movidesk


Suporte ao cliente
Oferecer um canal para o cliente sanar recorrentes dúvidas com relação ao produto ou serviço, antes e depois da compra é uma das bases do BC2.
Um bom atendimento faz toda a diferença, por isso cuide muito bem dessa área, para não gerar um desgaste do cliente com a marca.
Porque, um cliente satisfeito te recomenda para outros 10, mas um insatisfeito, falará mal de você para outros 100!
Para finalizar, antes de começar uma campanha e criar um conteúdo, pense em como ele pode ser útil para seu cliente e também, que faça sentido na hora certa. Boa sorte!

Outros posts

Mire no Marketing de Conteúdo e seja a primeira opção para o seu cliente

As empresas nunca tiveram tantas ferramentas de comunicaçã...

Descubra a novidade lançada pelo Facebook que integra o Messenger ao Instagram

Além das funcionalidades adaptadas do Messenger para o ...